Buscar
  • TJ Tamo Junto

Em sua 4ª edição, Casamento Comunitário celebra o amor na Capela dos Milagres

A cerimônia, feita especialmente para a comunidade da Rota Ecológica dos Milagres, realizou o sonho de nove casais apaixonados


Vista da Capela dos Milagres por dentro, durante o Casamento Comunitário / FOTO: Maína Vasconcelos

O estilo de vida dos locais que fazem parte da Rota Ecológica dos Milagres, banhada pelas águas mornas alagoanas, encanta qualquer visitante, pois é lá onde se encontra o mais genuíno luxo da simplicidade. Em harmonia com isso, a Capela dos Milagres, desde que foi construída por Maurício Vasconcelos para realizar o sonho de seu casamento, há 5 anos, logo se tornou um dos destinos mais sonhados por noivos de toda a parte que desejam uma celebração alegre e inesquecível. A alma “pé na areia” desse paraíso fez com que outras iniciativas fossem apenas consequência do jeito leve e atraente de levar a vida que lá se encontra. Assim, idealizado pelo Instituto Tamo Junto, nasceu o Casamento Comunitário, que, neste ano, chegou a sua quarta edição.


O maior diferencial da Rota Ecológica é o de ser parte da comunidade que a cerca, preservando a natureza, a alegria e a cultura local. Por isso, a Capela dos Milagres reservou duas datas para nove casais de sua comunidade dizerem o tão aguardado “sim” num emocionante casamento comunitário. No dia 26 de novembro, aconteceu a celebração civil e, no dia 28 de novembro, a celebração religiosa na Capela, que fica localizada na Praia do Marceneiro, em Passo de Camaragibe (um dos municípios que desenham as belezas da Rota). Todos os cuidados foram tomados em razão da situação delicada que todos ainda enfrentam por causa da pandemia.


"Nós acreditamos que servir é nobre e não medimos esforços para ter o sorriso estampado no rosto de quem nos acolhe e compartilha o melhor do estilo pé na areia. Acreditar em Milagres é saber que há um lugar onde o amor é traduzido em conexão”, destaca Maurício Vasconcelos.


No ritmo do coração

Irani / FOTO: Maína Vasconcelos

O ano era 1998, quando a banda fanfarra de Passo de Camaragibe apontou na cabeça da rua da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição. A banda, lá de longe, vinha colorida, alegre como sempre, a comemorar o aniversário da cidade. Desde criança, Irani adorava o dia da emancipação política, pois tinha música, fogos, parque de diversões... era uma festa! Todos os anos a mesma coisa. Ela garantia seu lugar na calçada da rua por onde a banda passava e, na ponta dos pés, se espremia entre os outros curiosos para ver e ouvir as cores e os ritmos que batiam no compasso do coração.


Certa vez, já com 15 anos, ela quase não chegou a tempo de garantir seu lugar, pois o carro da família havia quebrado no caminho para a praça da cidade. Mas, no fim, deu tudo certo! Irani chegou e a banda já se aproximava de onde ela estava, quando, de repente, seu corpo parou de lhe obedecer: sua mão tremia, sua perna bamboleava e seu coração parecia bater mais forte que todos os bumbos daquela fanfarra. Era Genaldo, 16 anos, que, com seu uniforme azul e seus dotes percussivos, tocou forte o coração de Irani.


Como tudo começou

Maurício e Ramona, ao lado dos filhos, assistindo à cerimônia religiosa do Casamento Comunitário / FOTO: Gustavo Sarmento

Maurício e Ramona se conheceram e se apaixonaram na primeira edição do Réveillon dos Milagres, em 2011. O evento acontece na Praia do Marceneiro, na Rota Ecológica dos Milagres, praia paradisíaca e de águas claras no norte do litoral alagoano (ou Caribe brasileiro), e Maurício Vasconcelos, empreendedor do evento, não contava com se apaixonar em pleno exercício da sua atividade profissional, mas, por isso mesmo, teve a certeza de estar no caminho certo. "Lembro, como hoje, quando vi o sorriso dos seus olhos pela primeira vez”, recorda.


As águas mornas de Milagres abraçaram o amor de Maurício e Ramona e, cinco anos depois, em 2016, ele construiu um refúgio abençoado por um santuário na beira do mar: a Capela dos Milagres, para completar o amor puro que havia conhecido. Lá, realizaram a cerimônia de casamento e, desde então, a simplicidade de casar com os pés descalços na areia, de frente para o mar, encanta casais de toda a parte, fazendo da Capela dos Milagres um dos locais mais desejados por casais de todos os cantos do país.


Gênios indomáveis


Oito anos se passaram depois do primeiro beijo de Irani e Genaldo, entre fogos de artifício e cheiro de maçã do amor, atrás da Igreja Matriz de Passo de Camaragibe. O amor surgiu tão forte entre os dois que se materializou. Os dois tiveram uma filha, Giordana, pouco antes do relacionamento ficar muito difícil. O medo de casamento que Genaldo nutria e o gênio forte e ciumento da escorpiana Irani os fizeram romper o relacionamento, pouco tempo antes de Genaldo ir embora para Brasília, em busca de trabalho.


O “sim” à beira-mar

Santuário dos Milagres, onde fica a Capela e funciona o Casamento Comunitário / FOTO: Gustavo Sarmento

A Capela dos Milagres tem capacidade para 120 pessoas sentadas e faz parte do Santuário dos Milagres, um espaço com mais de oito mil metros quadrados no meio de um lindo coqueiral com disponibilidade para acomodar até três mil pessoas. A área conta com toda a infraestrutura para que noivos e convidados vivam a experiência dos sonhos, com mais de 100 metros de vista para o mar e duas estruturas cobertas. O top destination é ideal para casamentos intimistas ou grandes comemorações, com foco nos noivos que têm a vontade de trocar as alianças em contato com a natureza e com a beleza dos tons de azul do mar. Em média, a Capela realiza mais de 60 casamentos por ano, com casais, em sua maioria, de outros municípios.


A partir de 2022, o Grupo Tamo Junto ainda abrirá mais um recanto para celebrar o amor à beira-mar, a Casa Marceneiro. Para os noivos que sonham em casar em comunhão com a natureza, de forma menos tradicional e mais aberta à criatividade dos casais, será uma ótima alternativa de espaço para receber casamentos com um número de convidados menor. “O objetivo da Casa Marceneiro é muito claro: produzir experiências inesquecíveis deixando um legado positivo no mundo através do compartilhamento da felicidade, da sustentabilidade, da inovação e da diversão”, explica Maurício.


O amor em descompasso


Além da falta de Genaldo, seu amor e pai de sua filha, foi nessa época também que Irani perdeu seus pais. Não foi fácil o que passou! Em alguns anos, Genaldo retornou de Brasília e, parece, com o medo de casamento superado, pois logo se casou com uma moça, amiga da época de adolescência. Irani seguiu sua vida com Giordana, sem querer mais dar chance ao amor. Seu coração já havia sofrido demais!


Casamento comunitário

Em primeiro plano, Maurício e Ramona, anfitriões do amor na Capela dos Milagres, ao lado dos filhos Lorenzo e Ana / FOTO: Maína Vasconcelos

Em 2017, a Capela dos Milagres passou a oferecer à comunidade a realização de casamentos comunitários, sem custo para os casais, com direito às celebrações religiosa e civil e à tradicional comemoração com jantar para os familiares dos noivos. Para construir esse sonho, 35 empreendedores da região, parceiros e fornecedores do mercado casamenteiro, foram convidados a participar. Desses, 51% ofereceu custo zero e 49%, preço reduzido (basicamente, para cobrir os custos de equipe).


Após a cerimônia religiosa, houve um jantar dedicado aos noivos e seus familiares, onde cada casal levou até 10 convidados para a festa, sem qualquer custo, é claro. Além do jantar, bolo, doces, bem-casados, drinques e muita música para embalar o amor, como também uma sessão de fotos para registrar o momento. As noivas tiveram, ainda, um momento especial no dia da celebração religiosa. Todas foram reunidas na Vila das Mangueiras para um dia de beleza, com maquiagem e produção de cabelo para o casamento, regado a café da manhã e almoço.


“Queremos realizar sonhos e possibilitar que os moradores tenham a oportunidade de casar com tudo o que eles têm direito, do jeito que sempre sonharam. Nos sentimos honrados em possibilitar esse momento tão especial para a comunidade com a ajuda de parceiros que sabem a importância de agradecer aos moradores pelo papel fundamental que eles têm para o crescimento da região”, orgulha-se o fundador do Grupo Tamo Junto, Maurício Vasconcelos.


Enlace

Oito das nove noivas que se casaram no último mês / FOTO: Maína Vasconcelos

Entre os nove casais que ganharam de presente uma super festa de casamento na Capela dos Milagres, ainda estavam Teônia e José, que se conheceram na década de 80 e construíram uma linda história de amor e parceria; Adriana e Ederaldo, que são amigos desde a adolescência, quando Adriana namorava um amigo de Ederaldo e seus destinos simplesmente viraram de cabeça para baixo a partir do momento em que foram apresentados; e, claro, Irani e Genaldo, que mostraram que o tempo não pode desmanchar um amor genuíno.


À prova de tempo

Irani e Genaldo / FOTO: Maína Vasconcelos

Genaldo acabou se separando. A verdade é que, 8 anos depois de ter posto um fim em seu relacionamento com Irani, ele também nunca havia conseguido esquecê-la. Há algum tempo, vinha dando ouvido às batidas do seu coração, que pareciam querer voltar àquele ritmo da fanfarra da paixão que bateu forte no fim da década de 1990. Sem falar que sentia falta de sua filha Giordana, agora com 12 anos. Então, no Natal de 2015, Genaldo procurou Irani e, quando o sol já estava espalhando seus primeiros raios da manhã, ele a pediu em casamento. Irani disse sim! Mas com uma condição: só casaria se tivesse a festa mais linda do mundo para compensar os desencontros que viveram durante tanto tempo!


Os casamentos comunitários da Igreja dos Milagres já estavam acontecendo anualmente e, todos sabem, uma escorpiana sabe exatamente o que quer. Irani providenciou tudo! Esperou, até que conseguiu a ocasião perfeita: 6 anos depois do pedido e 23 anos depois do primeiro beijo escondido, entre fogos de artifício e cheiro de maçã do amor, atrás da Igreja Matriz de Passo de Camaragibe.

6 visualizações0 comentário